A força da vida e os alimentos

A força da vida e os alimentos

Uma vantagem pouco falada dos vegetarianos e dos veganos é o facto de ingerirem a força da vida ou nutrientes vivos em larga escala. Conto-lhe tudo o que precisa de saber.

Psicóloga Clínica Terapeuta Holística e Guia Espiritual Clínica Divine Love by Sadhna

Quando se ingere um animal, na verdade ingere carne já em estado de decomposição, apesar de esse estado aparentemente não lhe provocar mal-estar ou ser nefasto para a saúde. O que está a comer morreu e já iniciou o seu estado de decomposição. Nas frutas e legumes é precisamente o contrário. Quando uma maçã se encontra na árvore, ela bebe a força vital do sol e apresenta-se rija, reluzente e cheia de vida. Quando apanha a maçã, ela mantém essa força vital por algum tempo. O mesmo acontece com os legumes nos quais ainda é possível observar a força do sol e da terra, mesmo depois de colhidos.

TENHA EM ATENÇÃO
Tempo – Quanto mais tempo os alimentos estiverem acondicionados, menor força vital ficará contida nos mesmos. Prefira alimentos biológicos, sem químicos, normalmente colhidos muito perto da altura de serem colocados a venda.
Temperatura – O corpo da maçã não é diferente do nosso corpo. Quanto mais aquecido, fervido ou cozinhado for um alimento, menos nutrientes terá. Prefira frutas e alguns legumes crus e os restantes legumes cozinhe a vapor ou em cozedura lenta com temperatura muito baixa.
Preparação – Quanto mais preparamos os alimentos, quanto mais os processamos, menos vitalidade terão. Aliás, deixam de se parecer ao alimento original. Opte sempre por uma preparação simples e, nos casos de sumos que transferem uma quantidade enorme de enzimas para o seu corpo, escolha sempre as slow juice machines que espremem a frio e mantêm maior vitalidade. Idealmente, deve consumir o sumo de imediato.
Acondicionamento – Muitas vezes, a comida que compra vem em caixas e está congelada. Da mesma forma que o nosso corpo não sobrevive a estas condições, o mesmo acontece com os alimentos: a sua força vital estará extinta. Poderá, talvez, saborear o alimento através de intensificadores de sabor, mas não irá recolher os seus nutrientes.
Sofrimento – A comida que provém de animais, assim como os laticínios, carrega a baixa energia com que esse animal foi tratado e morto. A grande maioria dos animais – mesmo os biológicos – vive em condições miseráveis, de sofrimento desde o tempo de gestação, até ao momento do parto, e durante a sua curta vida em cativeiro. Para melhor informação, atreva-se a ver um vídeo sobre as condições dos porcos que mal têm espaço para se mover, dos bicos das galinhas cortados à nascença ou das dores horríveis das vacas leiteiras que chegam a não conseguir andar, já para não falar da dor de serem separadas dos seus bebés logo após o parto. É impossível que tanto sofrimento não o afete ao fim de algum tempo de consumo.
Pesticidas – Para além dos malefícios físicos que estes químicos trazem para o organismo, não nos podemos esquecer da sua conotação vibracional. O papel do pesticida é matar e não mata só os insetos! Também retira a força vital contida nos alimentos, intoxicando-os e alterando o poder dos seus nutrientes. Isto para não falar dos alimentos geneticamente manipulados que deixam claro aquilo que são a partir do momento que essa manipulação tem lugar.

UMA VIDA EM HARMONIA COM O NOSSO SER E O PLANETA
Apesar de ser uma decisão pessoal, não deixe de se informar e ponderar a forma de se tornar mais saudável e contribuir para um mundo mais harmonioso e com respeito por todas as formas de vida. Durante algum período mais difícil, lembre-se que a sua existência neste planeta é uma dádiva e compete-lhe honrar esse presente que lhe foi oferecido. Alinhar-se com o planeta e manter o seu corpo  saudável é uma forma de harmonizar as suas emoções e, como consequência, espalhar mais amor e altas vibrações pelo mundo.
Cuidar dos mais indefesos, como os animais, e protegê-los é uma forma superior de espiritualidade que lhe trará uma sensação enorme de bem-estar e Amor Divino. Divirta-se na sua jornada!

DICAS QUE PODERÁO FACILITAR O PROCESSO OU ABRIR NOVOS CAMINHOS
– Inicie um programa de meditação/yoga, mesmo que só possa praticar em casa. Torne-se consciente de como sente o seu corpo e que tipo de pensamentos lhe surgem com mais frequência. Faça apontamentos para verificar a sua evolução diária
– Torne-se consciente do seu corpo e da sua mente quando come. O que sente, como sente e que diferenças nota quando come carne e quando come só legumes e vegetais
– Leia mais sobre o vegetarianismo e veganismo pois ficará surpreendido com o que irá aprender. A par disso, perderá o receio de ficar malnutrido ou cometer erros
– Elimine os alimentos dos quais consegue prescindir sem grande esforço
– Lembre-se sempre que o objetivo é o processo e não o fim em si. Enquanto está em transformação, estará já a viver um processo de harmonia e bem-estar, podendo levar algum tempo até chegar ao destino

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0